18 junho 2008

Traço 017

Mas o coração segue desvios particulares e tentar entendê-lo é como decifrar poemas russos traduzidos para o dinamarquês em braile. Quem parte, leva. Já diz uma velha canção. Mas quem chega, traz. Um misto de curiosidade pelo novo e lá está o amor, fantasiado de paixão a se manter sereno diante de qualquer gesto do outro.


Vale da Solidão, do poetista Júnior Creed.

5 comentários:

  1. Muuuuito massa! Falou tudo! principalmente da fantasia do amor! ;~

    ResponderExcluir
  2. como entender? o coração é uma 'caixinha de surpresas', sentimentos se confundem...

    :D
    http://strangerbeautiful.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Gostei do amor fantasiado de paixão.
    Quando notar que a paixão tornou-se amor, né?
    Mas, segundo a física quântica, a paixão tem prazo de validade, ela dura de 2 meses à 2 anos.
    O amor...Bem, esse pode ser eterno.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. lindo, verdadeiro.
    vivo isso agora. estava triste por um amor que me foi levado, mas, ao olhar para o lado, vi outro, mais puro e verdadeiro, chegando. não é incrível? :)
    adoro esses traços!
    bj

    ResponderExcluir

rabisque!