22 maio 2009

Traço 040

As pessoas nunca notaram a minha tristeza, e eu muito sacana que sou, fingia que estava tudo bem. Ninguém notava mesmo. Eu me tornara um espectro. Andava pelas ruas como uma alma penada. Era assim. Sério mesmo. Quando alguém por acaso se lembrava de mim eu colocava um implante, digo, uma máscara, com um sorriso gigante, balançava a cabeça e falava algumas frases. Era muito simples.
Desejei a morte.


Conheci hoje, li e me identifiquei com esse trecho do blog da Ninah.

3 comentários:

  1. Hey!
    Obrigada. Nossa que honra. Fico até com vergonha. rsss
    Na hora que escrevi achei tão ruim, mas mesmo assim publiquei.
    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Po, a autora do texto achou ruim? rs. Gostei muito!

    ResponderExcluir
  3. a autora do texto achou ruim? [dois]

    nonéspossible!!!. eu cabi aqui: "As pessoas nunca notaram a minha tristeza, e eu muito sacana que sou, fingia que estava tudo bem.":}

    ResponderExcluir

rabisque!