04 novembro 2010

traço 243

Não baby, nem vem com essa. A história é minha. Eu sei muito bem, que tudo não passou de uma distração de cílios. Tá tudo bem. Não se importe com o sangue que jorra dos meus joelhos. Nem com as lágrimas. É tudo tão sem sal que não arde.
É apenas charme moço. Entenda. Esse choro eu carrego sempre no rosto, escondido na risada frouxa, é disfarce, de coração bobo de menina grande. E fique tranquilo não vai ficar nenhuma cicatriz aqui e se ficar, eu escondo com base. Dá pra controlar a superficie da dor, mas não as suas mudanças.

da Ju Fuzetto, que me transcreveu aqui.

2 comentários:

rabisque!